21/10/2008

Eu não sou de Itararé

tal qual meu amigo Don Suelda.
Nasci em Arroio do Meio que, durante a Primavera, enche os olhos da gente desta maneira:







5 comentários:

Halcón Peregrino disse...

Me ha gustado tu blog, volveré por aquí.

Don Suelda disse...

Querida Liz:

Nunca esqueça: A vida tira as pessoas de Arroio do Meio. Mas nada tira Arroio do Meio das pessoas.

Solda, o meu Arroio do Meio, você sabe, chama-se Itararé.

acqua disse...

Adorei a foto desse banco com pétalas por ele. Linda. Me fez pensar uma poesia.
Seria abuso pedi-la para postar lá no Acqua com o poema? Colocarei os devidos créditos claro.

No banco da saudade
ressoam lembranças
Que um ou outro descobrem
bem no meio da tarde!
A maiora passa desatenta
...mas há que passe, veja e fique
Não se senta,
apenas se encanta com o perfume das lembranças
E segue seus caminhos,
...levando um sorriso no bolso!
Coisas do bendito outono,
que por hora fantasia-se de primavera...

claudia disse...

que coisa linda...

claudia disse...

http://oxigenio2008.blogspot.com