09/11/2011

Esculturas (atlantes) da antiga Confeitaria Rocco de Porto Alegre




Endereço: Rua Riachuelo, 1
Complemento: esquina Rua Doutor Flores, 465
Tombado: SMC - Secretaria Municipal da Cultura

Nicolau Rocco (1861-1932), natural da Itália, antigo funcionário da famosa confeitaria “El Molino” de Buenos Aires, fundou, em 1892, a Confeitaria Sul-América em Porto Alegre. Em 1910, acompanhando o ‘boom’ imobiliário decorrente do desenvolvimento econômico da cidade, mandou construir o prédio da Confeitaria Rocco.

O projeto, em estilo Eclético, foi elaborado pelo arquiteto e construtor Salvador Lambertini, que faleceu em 1911. A obra foi concluída pelo arquiteto Manuel Itaqui Barbosa Assunpção sendo inaugurada em 20 de setembro de 1912. O edifício destaca-se por sua implantação no terreno de esquina como um bloco monolítico esculpido.

A estrutura do prédio é mista de alvenaria de tijolos de barro e vigamentos de ferro. A área total do imóvel é de 1.560,00m2 distribuídos em quatro pavimentos:
• fabricação dos doces no subsolo;
• confeitaria, com acesso ao público, no térreo;
• salão de festas no 2º pavimento;
• copa e outras dependências no 3º pavimento.
As fachadas são ornamentadas com requintado trabalho em ferro nas sacadas e balcões, colunas e pilastras com capitéis em forma de cabeça de leão, grandes letreiros em relevo ornamental com o nome da empresa, profusa decoração de frisos, cornijas, mísulas e a platibanda com balaustradas.

Nelas estão distribuídos três pares de atlantes, formados por um Atlante jovem e outro idoso. O Atlante jovem representando a América e a Fartura e o Atlante idoso representando a Europa e a Abundância. Os Atlantes suportam com uma mão a sacada e com a outra a cornucópia da fecundidade. O conjunto escultórico no frontispício representa a Luz. A figura feminina central está emoldurada por uma lira tendo ao seu lado duas crianças. Há alusão explícita às artes, em especial à música. O terraço era utilizado como depósito e como local de contemplação da cidade. 

A fábrica de doces, confeitaria, salão de chá e de festas, junto à Praça Conde de Porto Alegre (antiga Praça do Portão), era o local privilegiado dos encontros da sociedade riograndense, tanto pela localização e qualificação do imóvel, quanto pela qualidade dos doces. A decoração do interior era luxuosa, com tampos de mármore, entalhes de madeira, pinturas murais de grandes dimensões e iluminação cenográfica. Freqüentaram seus salões, entre outros, Góis Monteiro, Eurico Gaspar Dutra, Getúlio Vargas, Daltro Filho e Mario de Andrade.
Fonte: Wikimapia.org



4 comentários:

FP disse...

Lindíssimo! Uma grande obra de arte! A arquitetura de um poderoso.

Angela disse...

Maravilhoso. Lembra demais a arquitetura daqui.Bem, o dono era italiano, entao está explicado...
Belíssimo!!! Adorei! As fotos estao incríveis.
Beijos querida amiga!

Georgia disse...

Oi Beth, lindas as fotos. Por aqui encontramos tb muitos prédios com esse tipo de arquitetura.

Vim te avisar que o Eduardo, do Varal de Idéias, fez uma linda caricatura sua, num outro blog que se chama Vítima da Quinta. Nesta quinta feira a vitima foi vc.

Passe lá para conferri o trabalho dele.

http://vtmadaquinta.blogspot.com/

Vi que vc segue alguns blogs dele como Pé de MOca, Último blog...

Abracos

mfc disse...

Sempre com pormenores perfeitamente fotografados!